Rafael Casachi

Downhill na Estrada da Morte - Bolívia

Downhill na Estrada da Morte - Bolívia
27 de setembro de 2016 14:01 | 6 Comentários

Se liga, hoje estou iniciando uma sessão de postagens sobre o que fazer antes de morrer. E para estreiar esta sessão, nada como descer a estrada da morte de bicicleta. E sem dúvida, foi a experiência que mais mexeu comigo na Bolívia em 2014.

O engraçado é que a adrenalina já começa pela contratação da agência que fornecerá as bikes, o guia e o transporte até o início da estrada de Yungas (mais conhecida como Estrada da Morte). Em La Paz, existem milhares de agências para a contratação destes serviços e o que deixa o viajante um pouco perdido. Eu optei pela Republica Tours próximo ao meu hostel (Republica Hostel) no valor de Bs 480.00.

No dia seguinte às sete da manhã, a van nos pegou no hostel e fomos em direção a El Alto, cidade próxima a La Paz. No caminho, a sensação de inquietude aumenta e parece que o carro fica extremamente quieto, como se todos ali esperassem pelo pior.

Ao chegarmos em La cumbre, à 4.640 metros acima do nível do mar, a impaciência para iniciar a descida é inevitável. Mas, neste ponto devemos nos equipar e testar as bicicletas. Nesse momento descobrimos que não tinhamos guias em inglês, o que para mim estava tudo tranquilo, mas todos os outros participantes não falavam espanhol, o que gerou uma discussão entre os guias e o pessoal, traduzida de cada lado por mim. No fim das contas, descemos junto com outro grupo, o que nos proporcionou muita diversão.

No momento de iniciar a descida fazia muito frio e pegamos pequenos trechos com neve. O início da estrada é um pouco decepcionante, pois é uma estrada comum e com um tráfego intenso de caminhões. Mas quando chegamos em Chuspipata, saímos do asfalto, do qual continua com um longo túnel, mas nós fomos para as pedras e desfiladeiros.

A estrada é de cascalho e desliza muito, mas possui um visual incrível de florestas, cachoeiras e abismos enormes. Na estrada, o trânsito é de mão inglesa, o que significa parceiro, que você desce do lado do precipício. E em alguns momentos, alguns carros sobem a estrada (veículos só podem subir a estrada de Yungas), o que te deixa no limite da via, a poucos centimetros da queda.

A descida é alucinante e sim, é segura, mesmo sendo perigosa (haha), sempre há o risco de queda, mas com precaução pode-se descer tranquilamente. Quando desci uma garota sofreu um acidente e bateu em um muro de pedras (antes o muro ao precipício) porque perdeu o controle da bike nos cascalhos molhados da estrada.

Todo o trajeto dura em média 4 horas, com pequenas pausas e mudanças climáticas intensas (do frio rigoroso com neve até o calor abafado, isso sem contar as chuvas pelo caminho), até a chegada em Yolosa à 1295 metros acima do nível do mar.  No fim, um bar com cerveja gelada em Yolosa, um almoço e um mergulho na piscina nos aguarda em Coroíco. Depois é só voltar para La Paz, agora com a van barulhenta de comentários e das histórias divertidas deste dia em Yungas.

Abaixo, o vídeo curtinho que fiz da descida e algumas fotos. Se tiver querendo fazer esta aventura e estiver com dúvidas, deixe nos comentários:

Não seja chato, deixe seu comentário:

Veja outros comentários:

Avatar deFagner

Fagner 29/09/2016 10:57 Responder

Então, eu pretendo fazer um mochilão. Nunca viajei para fora. Vou sozinho e estou pesquisando bastante sobre os passeios e lugares que vou.Como vou sozinho estou buscando informações sobre segurança. Onde deixar minhas coisas, melhores agências, etc...Valeu pelas dicas!

Avatar deRafael Alessandro Casachi

Rafael Alessandro Casachi 29/09/2016 11:20 Responder

Opa, tranquilo! Precisando de ajuda para planejar me dá um toque, qualquer coisa me manda um e-mail e eu retorno com o número do meu WhatsApp.

Avatar deFagner

Fagner 29/09/2016 09:35 Responder

Beleza!Pretendo ir em Novembro. Então posso deixar a mochila com o pessoal do apoio sem problemas?Você foi ao Salar Uyuni?

Avatar deRafael Alessandro Casachi

Rafael Alessandro Casachi 29/09/2016 09:49 Responder

Pode deixar sem problemas. Inclusive, durante a descida, você removerá as camadas de roupas... pois vai ficando cada vez mais calor. Fui sim... fui para Uyuni na mesma viagem. E Boa Viagem Fagner! Caso precise de alguma coisa, só falar.

Avatar deFagner

Fagner 28/09/2016 14:23 Responder

Fala, Rafael!Cara, o que levar para esse passeio?

Avatar deRafael Alessandro Casachi

Rafael Alessandro Casachi 28/09/2016 14:47 Responder

E ai Fagner!!! Normalmente não precisa levar nada para a estrada, na maioria das agências que busquei em La Paz era incluso tudo: roupas, bicicleta, lanche, almoço, equipamentos de segurança e fotografia. Mas mesmo assim, levei uma mochila pequena com alguns lanchinhos, máquina fotográfica, um pouco de dinheiro (para tomar uma cervejinha no fim da estrada) e uma blusa de fleece pelo frio (fique atento ao frio, mesmo no verão, a saída de La Cumbre sempre é frio). Também levei uma toalha e roupas de banho, porque fui informado na agência que iriamos para uma fazenda com piscina para o almoço, ai sempre vale um mergulho. A mochila pode ser deixada na van de apoio que acompanha os guias.